As estrelas apareceram para assistir o show do Ed Sheeran no Royal Albert Hall – incluindo a lenda do futebol David Beckham.

A estrela dos gramados parecia bem satisfeita ao ver Ed entreter o público com as músicas de seu último álbum para o Teenage Cancer Trust.

Armado com seu violão, o loop pedal e sua voz, o cantor era a prova viva de que alguns homens conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo, montando as músicas com harmonias, batidas e diversas partes do violão.

Tendo passado muitos anos dormindo nos sofás das pessoas e tocando nas menores casas de shows, com 26 anos, Ed agora é uma superestrela. No início do mês, todas as 16 músicas do Divide ocuparam um lugar no top 20 e nesse verão ele vai tocar no Glastonbury. Apesar disso tudo, parece que a fama não está subindo a sua cabeça. Entrando no palco com uma camiseta, jeans e tênis, ele parecia um cantor de rua comum.

A primeira música, Castle On The Hill foi uma retrospectiva a seu passado com uma pegada de Mumford And Sons; Eraser tinha ritmos próximos ao flamenco e mais camadas que uma cebola; e The A Team, uma balada sobre uma jovem moça vulnerável, ganhou novos acordes na noite dedicada a arrecadar dinheiro para adolescentes na batalha contra o câncer.

Enquanto Ed conseguiu completar seu show sozinho, é difícil não pensar que muitas das músicas ficariam melhores se elas fossem tocadas, assim como no CD, por uma banda completa. Ele parecia tão ocupado durante Galway Girl que parecia um participante de MasterChef tentando empratar a comida a tempo.

Por outro lado, Sheeran pode olhar para as evidências – CDs de sucesso, arenas lotadas – e concluir que ele não precisa de mais ninguém. O que quer que decida, quando Shape Of You levou a noite a encerrar majestosamente, ficou mais do que provado que nada parece parar esse fenômeno musical.

Fonte: Evening Standard