Nancy Mulligan: Avó de Ed fala sobre música e a infância do neto


Dedicada inteiramente à história de amor dos seus avós, a música ‘Nancy Mulligan’ do Ed Sheeran tornou-se um grande hit no mundo inteiro, embora seja simplesmente uma coleção de memórias de sua avó, nascida em Wexford, Anne Sheeran.

Nancy Mulligan é mais do que apenas uma música no Divide, álbum de sucesso do Ed Sheeran, e a história contada significa mais à sua avó do que aos milhões de fãs.

Nancy, que se tornou conhecida como Anne quando trabalhou em Londres durante a 2ª Guerra Mundial, nasceu e foi criada em Craan Hill, ao norte de Wexford. Ela frequentou a Monaseed National School e a Loreto Secondary School, Gorey, antes de decidir que seria enfermeira e viajaria para o Guys Hospital, na Inglaterra.

Embora Anne estive sobre um solo ameaçado pela Guerra, ela “nunca se incomodou” com a ideia da morte e acreditava na filosofia de que “se a sua hora chega, sua hora chega”.

 

Após dois anos de obrigação militar, ela conheceu seu futuro marido num baile na casa de enfermagem. O finado William Sheeran, chamado de “Bill” pela mulher que amara, era um aluno de odontologia na época, e o par tornou-se “muito bons amigos” enquanto compartilhavam um enorme interesse em esportes e rugby.

“Havia um baile uma vez por mês na casa de enfermagem quando eu estava na Inglaterra, e você tinha que sair às 11 da noite. Não acontecia de sair com eles ou algo assim, então, foi assim que o conheci. Ele foi a esse baile e desenvolveu a partir disso”, Anne recorda.

“Não era necessariamente a ideia de um namorado que foi tão atraente para mim no início, mas eu sempre podia ir com ele e ele garantiria que me veria após o portão”, lembra-se ela.

Casamento

À medida que o tempo se passava, o casal de 24 anos passou a ver um futuro juntos, mas a religião deixou-na “relutante de pensar a respeito”. Sabendo que Bill “achava difícil de acreditar no que eu acreditava”, ela conta que se “rendeu” ao casamento, após ele perguntar: “Por que não podemos nos casar agora?”

Quando questionada sobre o excerto sobre “roupas emprestadas”, um trecho encontrado na música de Ed, Anne riu, dizendo: “Isso está definitivamente errado”, lembrando-se de seu casamento em Westminster.

“Nós não tínhamos um plano ou algo assim, eu não tinha um vestido de casamento, nada, absolutamente nada. Então, consegui o vestido, um vestido curto – eu nunca quis um vestido longo, de qualquer forma. Comprei um vestido de promoção. Nada, me custou praticamente nada, e até onde eu sei, ele possuía um terno. Ele sempre vestiu ternos, então ele vestiu um terno.”

Após Bill ter se qualificado como dentista, ele praticou o trabalho em Londres, e o casal criou oito filhos juntos em Kent. Embora a família de ambos fosse baseada na Inglaterra, eles frequentemente visitavam o lar dos Mulligan na fronteira de Wexford.

Voltando para casa

Quando os filhos estavam todos grandes, os dois optaram por um estilo de vida mais rural e voltaram para casa, o lar dos Mulligan sendo em Co Wexford. O verde e o interior deram acolheram o Bill à região, enquanto o sentimento de casa fez levou Anne de volta ao lugar onde era conhecida como Nancy Mulligan.

 

Família

Anne tem muito orgulho de todos os seus netos. O superastro mundial, que parece ser centrado e humilde, e que tomou os palcos de Dublin há alguns dias, Ed Sheeran, sempre foi muito próximo de sua família irlandesa, e quando menino, visitava seus avós em todo verão.

“Desde quando pôde engatinhar, ele amava vir [para Wexford]”, conta Anne. “Ele sempre amou vir para cá. Ele ainda vai a todos os lugares, como uma criança. Ele sempre adorou andar pela colina Clonamona e pela praia em Courtown. Eles vinham em todos os verões, então eu o conheci muito bem.”

Ao falar sobre a popularidade de seu neto, é claro que ele nunca se esqueceu do valor de suas raízes, e que o estrelato não modificou sua moral ou sincero senso de modéstia.

Tocando por aí

Anne se recorda de como o interesse de Ed começou a se mostrar. “Bem, desde os 12 anos se tornou aparente. Ele estava aqui, e me lembro dele perguntar ao Bill se ele tinha um violão, e Bill tinha.

“Ele não era do tipo que tinha aulas, ele só gostava de tocar por aí com ele. A partir disso, ele quis um violão como presente de Natal, ele era apenas uma criança. Ele nunca pensou duas vezes”, conta ela.

Enquanto brincava com seu violão, ele calhou de encontrar sua voz para cantar também. Anne diz que ela nunca cantou, mas que sua mãe “nunca parava de cantar”.

Embora atualmente o Ed raramente fica em Wexford em decorrência de sua agenda apertada, quando seu avô faleceu há três anos e meio, ele colocou um CD para sua avó e perguntou: “você gostaria de ouvir meu álbum?”

“Ele tocou sim para mim aquela [Nancy Mulligan] quando esteve aqui pela última vez, seis meses atrás. Ele estava de partida naquele dia e disse que precisava perguntar o que eu achava dela – e eu só ri da cara dele.

“Qual é o ponto de dizer não? Não era essencial para ele, mas era o que ele queria,” ela diz.

Enquanto o tempo passa, com o badalar do antigo relógio do avô na confortável sala de estar, Anne mexe com carinho em alguns recortes de jornais sobre seu neto, Ed, lembrando-se com orgulho do quanto ele conquistou.

“Eu o amo, ele é um jovem ótimo. Eu gosto do fato de que ele ajuda todo mundo – porque ninguém nunca o ajudou. Ele teve que lutar para conseguir fazer dar certo. Ele ajuda as pessoas. Se possuírem talento, ele as ajuda, e ele não fica nada preocupado se ocuparão o lugar dele ou não”, sorri Anne.

Fonte | Tradução e adaptação: Fernanda – Equipe ESBR
Não reproduzir sem os créditos

 

 

 

Escrito por Fernanda
23.04