Uma vez que o Ed Sheeran possui uma liderança antecipada na corrida pelo single e álbum de maior sucesso de 2017, outros músicos e gravadoras estão observando seus segredos para o sucesso. Aqui estão alguns.

Adequação a um público amplo

Dados divulgados na semana passada, mostram que o cantor-compositor domina os maiores singles e álbuns presentes no Official Top 40 do ano até o momento no Reino Unido. Enquanto a maior parte de suas vendas pode ser atribuída a algo muito óbvio – músicas chicletes – algumas das razões de seu triunfo comercial são menos aparentes.

Houve uma época quando artistas conseguiam gerar vendas enormes, sendo atrativos apenas para um público demográfico. Agora, Sheeran, 26 anos, está vendendo para um público mais amplo, de acordo com analistas. Nele, incluem pessoas mais jovens que ele mesmo, seu grupo equivalente e até seus pais e avós. O apelo engloba ouvintes masculinos e femininos e aqueles que se contentam com sua imagem de pé no chão e acessível, o que também é visto não tão distante, em Adele, seu equivalente feminino. A consequência?

Adequação a todos os formatos

Esse apelo amplo, traduz-se a sucesso em todos os formatos de lançamento, desde CDs físicos a downloads e streams. Esse padrão é visto incisivamente não somente na Grã Bretanha.

Um mês após o lançamento, o terceiro álbum de estúdios de Sheeran÷ (pronuncia-se Divide) está muito adiante na lista de álbuns mais vendidos do ano, acumulando 1,4 milhões de unidades (em todos os formatos) na Grã Bretanha.

A corrida de sucesso do álbum é guiada por vendas físicas, com aproximadamente 886.000 cópias tendo sido compradas em CD e vinil até agora no U.K. Vendas tradicionais desse tido agora estão sendo cada vez mais associadas a consumidores mais velhos e aqueles que compram em supermercados, compras consideradas menos frequentes e sofisticadas. Do número total do Divide, 280.000 vem de downloads e o remanescente compõe-se de streams.

Adequação a todos os gêneros musicais

Sheeran disse que queria ser o maior astro do pop do ano. Uma forma de conseguir cumprir isso, é se mostrar serviço às suas bases. Há músicas que podem ser comparadas com o rock do Coldplay (“Castle On The Hill”), ao dance de Sia ou TLC (“Shape Of You”) e ao folk de Mumford & Sons (“Galway Girl”). Publicações sugerem que Sheeran fez escolhas para seu álbum considerando dezenas de composições possíveis que ele havia criado, selecionando cada uma de acordo com o tema: amor, amadurecimento, felicidade. Por mais que isso tenha levado alguns críticos a considerarem o álbum um pouco “calculado”, a resposta a ele tem sido mista. Ele pode ser uma coleção desfocada aos olhos de aluns, mas alguns críticos disseram que mostra ambição, mantém o interesse ativo com a variedade e fornece um apelo mais amplo.

Escolha pelo dobro

Já foi observado que o single duplo lançado por Sheeran no início do ano, pagou suas dívidas. Isso confundiu os céticos e desbancou como as maiores canções do ano. “Shape Of You” já vendeu mais 1,8 milhões em todos os formatos, enquanto “Castle On The Hill” possui o equivalente a 1,1 milhão de unitários na Grã Bretanha.

Remix

Se uma música é tão boa assim, faça novamente. “Shape of You” logo gerou muitos remixes não-oficiais. Depois, Sheeran trabalhou com o Stormzy e também há um remix da Major Lazer. Não importa que acabe sendo a mesma música que antes, todas as versões contam. Talvez estejamos vendo o retorno da era em que os fãs mais fiéis acabavam comprando todas as versões; a tentação de remixes múltiplos é compreensível.

Investimento em streaming

Ainda com as vendas de CDs físicos, Sheeran – assim como o Drake – também é muito popular em serviços de streaming, como o SpotifyDeezer e Apple Music.

“Shape Of You” teve mais de 121 milhões de streams desde o seu lançamento, como revelado pela Official Charts Company. Seus números de downloads são comparativamente menores – 604.000 – mas isso ainda é o suficiente para fazer desta a faixa com maior número de downloads ade 2017, até agora. Obviamente, o rendimento dos streamings é menor por item, se comparado com um download pago, embora como disse o Depeche Mode: “tudo conta em grande quantidade” no fim.

Aposta múltiplas

Uma vez que o álbum seja lançado, a nova regra é mostrar o maior número possível de canções. Outros singles podem ter um efeito pequeno, diferente de apenas propagar um pouco. Essa é uma medida distante da antiga ideia de um lançamento gradual, com apenas um material para dar um gostinho.

Enquanto “Galway Girl” é a sétima mais bem-vendida no U.K. este anos, com 445.000 cópias combinadas, as outras sete músicas do álbum coletivamente venderam 1,2 mi de downloads individuais a compradores que optam adquiri músicas selecionadas ao invés de todas. O segundo trabalho de SheeranX (pronuncia-se Multiply), pega carona e é o terceiro maior álbum de 2017 até o presente.

Entre os outros álbuns mais bem-vendidos do U.K. até agora neste ano, o Human do Rag’n’Bone está em segundo lugar com 394 mil cópas; Glory Days do Little Mix, em n° 4 com 136 mil; e Gang Sings & Prayer do Stormzy em quinto, com 129 mil. Entre os singles, Rag’n’Bone ManJax Jones e Little Mix também estão no top 5 nos três primeiros meses.

Fonte Tradução e adaptação: Fernanda – Equipe ESBR
Não reproduzir sem os créditos